Pages

Search This Blog

22/02/18

Less Baixa

Para variar um bocadinho hoje escrevo para vos fazer salivar e não para terem vontade de fazer as malas.
Conheci o restaurante Less Baixa em Novembro, num workshop da Martini, e desde aí que fiquei maravilhada com espaço. O Less fica na Rua dos Fanqueiros, no 8º andar do edifício da Polux, uma das lojas mais antigas de Lisboa, com uma vista soberba sobre a cidade de Lisboa.

Ontem decidimos ir experimentar. A carta não é grande mas tem tudo para te deixar a babar: tártaros, risottos e grelhados, de chorar por mais! Começámos pela tábua de queijos com compota de abóbora, depois o tártaro de bacalhau com espuma de coentros (divinal!), para ele o Lombo da vazia e para mim o risotto de tomate seco e amêndoa torrada com bacalhau fumado (que te vai fazer voltar a este restaurante vezes sem conta, acredita!)


Nada melhor que desfrutar do dia solarengo no terraço com as bebidas do chefe (Mojito Pink e a Sangria Porto pink), ficam aqui as fotografias para vos deixar com água na boca.










Morada: Pollux, Rua dos Fanqueiros, 276, 8º (Baixa), Lisboa
Telefone: 91 320 4373
Horário: De segunda a quarta, das 10h às 20h. De quinta a sábado, das 10h às 00h
Preço Médio: 40€ para duas pessoas


FacebookInstagram


Love
A.
0

17/02/18

Koh Lanta . Thailand

Koh Lanta era a ilha que estávamos mesmo a precisar! Uma ilha tranquila, com poucos turistas e muito pouco explorada. Não é a ilha mais bonita da Tailândia mas é de passagem obrigatória.
Infelizmente não tivemos muita sorte, foram 4 dias de chuva e céu cinzento, tempestades no mar e praias cobertas de lixo.
Por esta razão não conseguimos aproveitar as praias magnificas da ilha e as excursões a outras ilhas mais próximas, no entanto, explorámos a ilha de mota mesmo de baixo do vai e vem das chuvas.
Foi também durante esta semana que vivemos de perto a dura realidade da poluição nos oceanos, foi chocante caminhar por praias repletas de lixo (sobretudo plástico). 




É um facto que o problema da poluição não ocupa o topo da lista de prioridades destas populações, em que a principal preocupação está em sobreviver. No entanto, penso que com a sensibilização adequada, este poderia ser um problema resolvido a curto/médio prazo. Tem também de partir de nós fazer um esforço para reduzir a pegada ambiental e, por essa razão, essa foi uma das minhas resoluções de ano novo!


O que fazer:

. Alugar mota
Assim que chegámos à ilha alugámos mota no hotel e partimos à descoberta. A ilha é muito pequena e as estradas não são nada más em comparação com outras ilhas que visitámos. Só de mota conseguimos ver realmente o que esta ilha tem para nos oferecer. As primeiras horas na ilha relembram-nos algumas imagens que vimos na TV do tsunami de 2004, é impressionante que passados 13 anos ainda conseguimos ver vestígios de destruição.
(Espero que não encontrem elefantes pelo caminho, é sinal que a exploração desta espécie terminou!)

. Bamboo Bay Beach 
Uma das nossas praias preferidas. Apesar do tempo, é uma praia enorme com bares engraçados e comida optima! Fomos surpreendidos por uma (grande) família de macacos assim que chegámos à praia. Uma das coisas mais fascinantes desta ilha: é comum encontrar no meio da estrada vacas, macacos, elefantes, cabras, etc.



. Visitar a Old Town 
Como o nome indica, a zona mais antiga da ilha. Uma rua muito simpática com restaurantes e pequenas lojas que vendem de tudo um pouco. Foi impossível ficar indiferente aos produtos naturais feitos por eles, em especial a loção de côco com um cheiro maravilhoso!


. Mercados
Por si só os mercados na Tailândia já são uma das principais atrações e em Koh Lanta não é excepção. Perdemos a conta dos mercados que encontrámos pelo caminho com fruta fresca, comida ambulante e todo o tipo de "chinesices" que eles tentam vender a preços altamente inflacionados! 

. Koh Lanta National Park 
Mais uma vez, a melhor maneira de chegar é de mota. Podem parar nos viewpoints e tirar fotos magnificas.



. Street food 
Porque é impossível resistir à comida Tailandesa, a comida feita nas barraquinhas ou tuktuks à beira da estrada é sempre a melhor opção. Para além de ser muito mais barato a comida é deliciosa! 

. Emerald Cave 
Infelizmente não tivemos oportunidade de visitar, pois a partir de Maio torna-se complicado fazer algumas excursões porque o mar não o permite. No entanto fica na nossa lista para uma próxima.

. Sunsets 
Ao entardecer a chuva dava tréguas e proporcionou-nos os sunsets mais maravilhosos de sempre. 

. Praias a Sul
Kantiang Bay, Waterfall Bay (Ao Klong Jark) and Bamboo Bay (Ao Mai Pai).

. Four Islands Boat Tour
Mais uma vez, a chuva não nos deixou fazer o circuito das quatro ilhas para fazer snorkeling. Optámos por fazer um circuito mais pequeno de canoa.






A norte da ilha numa pequena peninsula, muito perto do porto de Saladan, fica o Crown Lanta resort. Por entre a floresta descobrimos este hotel incrível perfeito para descansar e estar em contacto com a natureza.
Com uma praia privada e um dos bares mais bonitos de toda a ilha, The Reggae Bar, onde vimos um por do sol inesquecível enquanto aproveitávamos a Happy hour.




Hope you love it
A.

0

05/02/18

Ao Nang . Krabi . Thailand

Depois da semana maravilhosa em Koh Tao fizemos as malas rumo ao Sul. Ao Nang foi o destino.

Ao Nang não tem as praias mais maravilhosas do mundo mas pode ser um bom ponto de partida para chegar a muitas delas. 
Li muitas reviews negativas sobre este sítio mas acabou por me surpreender pela positiva. É verdade que é um sítio bastante turístico, no entanto, tem óptimas infra-estruturas, bairros simpáticos e cheios de animação, restaurantes para todas as carteiras, mercados com comida maravilhosa a menos de 1€ por pessoa, e hotéis não faltam.





Junto à Praia de Ao Nang podem encontrar inúmeras agencias com pacotes de viagens e passeios às outras ilhas. É aqui que é preciso ter atenção, quando a oferta é muita acaba por ser difícil escolher a melhor opção. 
Tivemos uma das piores experiências da nossa viagem porque não nos informámos como devíamos. Depois de corrermos tudo à procura de um pacote acessível para visitar as ilhas PhiPhi acabámos por escolher o mais barato e, por sua vez, o mais aliciante (quando a esmola é grande...).
Queríamos evitar ao máximo as excursões turísticas mas estávamos com o tempo contado e queríamos conhecer as PhiPhi. 
Acabámos na parte da frente de um speedboat (porque o barco ia cheio de chineses a gritar e a vomitar com os enjoos) e o que seria uma viagem de 40minutos maravilhosa tornou-se num anuncio da Pescanova altamente violento. 
As PhiPhi são maravilhosas mas a experiência foi assustadora, quase partimos a Canon com a tempestade que apanhámos e o valor não compensou as dores no corpo do dia seguinte.
Aconselhamos a apanhar o Ferry até PhiPhi e ficar por lá pelo menos uma noite.


Ao Nang Cliff Beach Resort

Situado na rua principal, foi o hotel onde estivemos durante 3 noites e foi sem dúvida dos mais bonitos onde estivemos em toda a Ásia. Numa encosta com vistas extraordinárias, quartos de sonho, piscinas que se confundem com o horizonte e um atendimento incrível.
O hotel é enorme e fascinante, para chegarmos ao topo do hotel podíamos apanhar um taxi à porta caso contrário teríamos de apanhar três elevadores diferentes, subir inúmeras escadas e passar por duas piscinas.



A não perder:

. Railay Beach. A 15 minutos de Ao Nang de barco, é uma optima praia para descansar. A praia é lindíssima e, apesar dos turistas, é uma boa aposta ficar a pernoitar e subir aos viewpoints mais conhecidos. 





. Wat Tham Sua (Tiger Cave). A tiger cave é um templo budista que fica a mais ou menos 10 minutos de carro de Krabi. Uma experiencia incrível e que vale cada centimo e cada pingo de suor! 
Negociámos com um senhor que fez connosco o percurso até à tiger Cave, com paragem na Emerald Pool a 19€ por pessoa (aposto que conseguíamos mais barato mas a verdade é que o senhor andou connosco o dia todo e deixou-nos no hotel).
A subida à Tiger Cave é um verdadeiro survivor, são 1237 degraus altamente irregulares e 278metros de altura. Leva água, muita água, porque vais precisar. A subida não é nada fácil mas quando chegas lá a cima esqueces o cansaço e as pernas a tremer, a vista é de cortar a respiração. 
Uma pequena nota: Vais encontrar macacos pelo caminho que te vão tentar roubar o que puderem, por isso cuidado com garrafas, telemóveis, chapéus, maquinas fotográficas, etc. Eles sabem o que fazem!


. Alugar um Kayak . Nesta zona de Ao Nang e Krabi há praias maravilhosas em que os acessos só são possíveis de barco. Para quem quer fugir dos grupos de turistas e descobrir praias desertas a melhor opção é alugar um kayak e ir à descoberta. Podem alugar um kayak para uma ou duas pessoas até aos 1000Baths por dia, tudo dependerá da vossa arte para negociar!

. Massagens . A praia de Ao Nang não é maravilhosa, a areia é escura e os barcos são uma constante. No entanto, do lado esquerdo da praia podemos encontrar barraquinhas de massagens com vista para o mar e restaurantes com um ambiente incrível e bem tranquilo. 











Se tiveres dicas de viagem deixa o teu comentário!
Hope you love it

A.












2

01/02/18

Como edito as minhas fotos?

Todos os dias recebo mensagens a perguntar qual é a maquina que uso e como edito as minhas fotos, por isso nada melhor que escrever um post sobre isto.
First of all, a maior parte das minhas fotos são tiradas com o iPhone (antes de Dezembro tirava com o Huawei P9) e com a Canon 6D (podem ver todas especificações da Canon 6D aqui).Nem sempre é fácil andar com uma mala cheia de objectivas, especialmente em viagem, mas a verdade é que ter uma boa objectiva faz toda a diferença.


As minhas Lentes:
Canon EF 50mm f/1.8 STM - Para detalhes, fotos em espaços com pouca luz e desfoque de fundo.
Canon EF 24-105mm f/4L IS USM II - Quando queria fotografar com mais angulo usava o iPhone mas a verdade é que esta lente tem feito maravilhas nas minhas viagens.  














Como edito as minhas fotos?
Acreditem ou não, nunca edito as fotos da mesma maneira porque, a meu ver, é impossível editar todas as fotos com a mesma luz, a mesma tonalidade e até com mesmo filtro sem que elas fiquem diferentes.

Infelizmente não há um filtro mágico que deixe todas as tuas fotos lindas e imaculadas, sempre com os mesmos tons e com a mesma luminosidade, por isso vou-te dar algumas dicas para criares um feed bonito e homogéneo.

Antes de mais, o que me chama a atenção num perfil é a originalidade e a forma como contam uma história. Nós não queremos ver perfis todos iguais, com as mesmas cores e os mesmos tipos de fotos, por isso cria o teu próprio estilo e conta a tua história! 

. Sombras e luz . Se estiveres a tirar fotografias dentro de casa possivelmente vais precisar de subir a exposição e vice versa. Por isso, brinca com a luz e as sombras para criares a tua identidade.

. Contraste e Saturação . Há quem adore fotografias muito contrastadas e saturadas. No meu caso, gosto de criar tons pastel e por isso evito grandes contrastes e saturação.

. Ajustes e "Levels" . No Photoshop e Lightroom consegues mexer nos niveis de cores (shadows, highlights, midtones) individualmente e isso permite-te corrigir com maior precisão a luz e as cores da tua fotografia. 

. TemperaturaOra vejamos, se eu tirar uma fotografia de manhã à vista do meu quarto possivelmente vou ter uma fotografia com cores frias e menos luminosidade. Se tirar a mesma foto à tarde vou ter uma fotografia com tons quentes, mais contrastes e possivelmente mais saturada.  

O mesmo acontece se tirar uma fotografia num dia de chuva ou num dia soalheiro, certo?
Mexer na temperatura de uma fotografia já é meio caminho andado para as deixar mais homogéneas. 

A verdade é que criar um feed "bonitinho" dá trabalho. Se não gostas de perder tempo com estes pormenores podes sempre usar alguns programas de edição que já vêm com packs de filtros. O VSCOcam é um dos meus favoritos e aí consegues encontrar packs engraçados e acessíveis. 
Repara que quando compras um pack de filtros não encontras apenas um filtro, encontras vários filtros com a mesma base mas com algumas diferenças na luz, saturação, contraste, etc. Um pack harmonioso e que te ajuda com os dramas da edição.


Outros programas de edição que utilizo:
. Photoshop
. Lightroom
. Snapseed
. Facetune 
. Instasize 

Deixo aqui os meus feeds preferidos para se inspirarem um bocadinho!

















With Love
A.

GuardarGuardar
0

Subscribe to our mailing list:

Social

Follow

About:

About:
Designer . Illustrator . Daydreamer . Lisbon . its.andy.blog@gmail.com